Antes de mais nada vamos falar o seguinte: o rotativo é interessante e tem sido utilizado em várias cidades brasileiras com sucesso. Acredito que seja uma boa experiência para Guarapari, que começa a discutir a sua mobilidade urbana. Infelizmente o projeto nasceu problemático e com erros que até agora o impediram de funcionar efetivamente.

Agentes  estão orientando os motoristas sobre o funcionamento do rotativo na cidade. Foto: João Thomazelli/Portal 27
Agentes chegaram a andar pelas ruas orientando os motoristas sobre o funcionamento do rotativo. Foto: João Thomazelli/Portal 27

A última notícia é a que um juiz concedeu liminar para a Associação dos Comerciantes de Guarapari, impedindo qualquer atividade para instalação do rotativo na cidade. (Veja aqui).

Antes dessa, tivemos outras situações que põem o rotativo em cheque, como vocês tem acompanhando aqui no portal. Uma através do Tribunal de Contas e outra através do Ministério Público.

Mesmo com os questionamentos destes órgãos, a prefeitura e a empresa vencedora da licitação informam que está tudo dentro da lei e que vão comprovar a idoneidade do rotativo em Guarapari. Acredito que isso vá acontecer. Creio que depois de todos esses problemas, eles vão comprovar que está tudo em ordem e dentro da legalidade. Mas pode ser tarde.

Crise. Acredito que o problema é muito maior do que apenas a legislação. Infelizmente, o rotativo começou com uma imagem negativa em Guarapari. Faltou uma maior discussão com a sociedade. Isso, aliado a todos esses problemas jurídicos e as informações desencontradas, fizeram a imagem do rotativo – que ainda nem se consolidou – viver uma crise de imagem e confiança sem precedentes.

rotativo guarapari Vinícius Rangel
Prefeitura e a empresa vencedora da licitação informam que está tudo dentro da lei e que vão comprovar a idoneidade do rotativo. Foto: Vinicius Rangel.

Credibilidade. Hoje boa parte da população está desconfiada do projeto e não vê credibilidade ou seriedade no rotativo. E notório que existe na cidade uma rejeição ao sistema. Mesmo os que concordam com a implantação, tem críticas a fazer. Creio que se fizerem uma pequisa, poderão comprovar o que estou falando.

Dito isso, após vencerem as barreiras jurídicas, a empresa e a própria prefeitura, terão muito trabalho a fazer. Afinal, resgatar uma imagem que ainda não se consolidou não é um trabalho fácil de fazer. Vamos aguardar o desenrolar dos acontecimentos e torcer para que a cidade tenha sempre o melhor, respeitando a quem mais interessa: o nosso cidadão.