A paralisação dos caminhoneiros chegou em Guarapari. No Trevo da cidade cerca de 300 caminhões com diversos tipos de produtos estão parados aguardando o Governo Federal reduzir o preço dos combustíveis.

Cerca de 300 caminhoneiros estão parados no Trevo de Guarapari em protesto ao alto preço dos combustíveis.

Um deles é o Jorge Joel Matieli Machado, de 56 anos. Ele é caminhoneiro há 30 anos e transporta borracha para a Bahia. Jorge relatou que decidiu participar do protesto porque das dificuldades que enfrenta na profissão. “A gente sofre na  estrada com o alto preço do combustível, frete baixo, estrada esburacada e pedágio caro. O governo fica roubando como roubou a Petrobrás e nós somos obrigados a pagar a dívida deles”.

Ele relatou que gasta R$ 1.950,00 somente com combustível para trabalhar. “Para eu ir na Bahia e voltar gasto 500 litros de óleo dísel, sendo que o litro é R$ 3,90 e ainda tem R$ 180,00 de pedágio. É muito caro”.

Segundo Jorge, a pista está liberada para carros particulares, ônibus, veículos das concessionárias de água e luz e para caminhoneiros que transportam animais e carga hospitalar. Mas, os demais produtos estão sendo retidos. “Não tem problema se estragar. Todo mundo que carregou carga que pode estragar sabia que iria ter greve. A internet está liberada para todo mundo até no interior e nós divulgamos na internet que iríamos parar”.

O caminhoneiro afirmou ainda que a paralisação não tem data para acabar. “Vamos ficar aqui até quando o nosso sindicato resolver lá em Brasília. Se resolver agora, nós já liberamos. Se resolver só no mês que vem, ficaremos aqui até lá”.

Deixe seu comentário