Cerca de onze bairros da cidade de Guarapari já foram contemplados com a Patrulha da Comunidade. Um projeto do Governo do Estado para diminuir os índices de violência em diversas localidades, que segundo o governo, o policiamento para a prevenção aos crimes contra o patrimônio e contra a vida já conquistou um resultado de 20% de redução desses delitos, onde foi implantado.

Foto Casagrande
O governador apresenta o Patrulha da Comunidade.

O município foi agraciado com 3 viaturas do projeto, que foram dividas em forma de quadrante, no qual apresentam uma viatura e duas motocicletas, somando quatro policiais para cada equipe. O primeiro quadrante abrange o bairro Coroado, Kubistchek, Olaria, Santa Margarida e Praia do Riacho.

JpegO segundo quadrante fica no Centro, São Judas e Parque da Areia Preta, enquanto o terceiro quadrante envolve a região de Muquiçaba e Itapebussu. A viatura e a dupla de motociclistas fazem revezamento – enquanto o automóvel está em um bairro, as motos estarão na outra localidade.

Esses policiais militares cumprem um roteiro, para que esse policiamento seja o mais eficaz possível, sem interferência no atendimento policial regular e não vinculada ao Ciodes. Fazendo com que tenham a função específica de ficarem próximos à comunidade, em locais de maiores índices de crimes de homicídios e roubos. Buscando dificultar que crimes aconteçam.

A Patrulha da Comunidade começou no dia 15 de Fevereiro e já tem previsão para um novo quadrante na região norte da cidade, em função do aumento do índice de criminalidade que acontece em diversos bairros da localidade. O Governo do Estado investiu R$ 4,2 milhões em viaturas e equipamentos digitais.  

patrulha_comunidade-Thiago GuimaraesO trabalho dos policiais é desenvolver ações preventivas nas comunidades, realizando cerca de 7 ações diárias. Com visitas ao comércio e avisando através de sirene, que há um policiamento ostensivo em determinada rua, este ato é para as pessoas de bem saber que há viatura próxima, e para aqueles que pretendem cometer algum delito, que possa desistir de realizar.

Serão realizadas reuniões mensais para ouvir da população, onde estão sendo os locais de insegurança para esses bairros. E a cada três meses, a reunião será com o capitão, para que possa solucionar algum tipo de problemas que ainda atrapalha os moradores. E quem tiver interesse em participar, deve procurar o líder comunitário de cada bairro.

Deixe seu comentário