Nesta terça-feira (20) dois assaltantes foram rendidos por populares e foram parar na cadeia após roubarem os celulares de duas mulheres. Os assaltos aconteceram nos bairros Muquiçaba e Praia do Morro.

O primeiro assalto foi cometido por Davisson Florentino Vieira por volta das 10h40, na rua Lúcio Maia, em Muquiçaba. A vítima, uma motorista de 55 anos, contou que o ladrão a abordou pedindo uma informação e depois cometeu o assalto.

O delegado Josafá da Silva lembrou que as pessoas não devem reagir a assaltos. Foto: Rafaela Patrício

“Eu estava voltando do contador quando o cara me parou e perguntou a hora. Quando fui olhar ele avançou na minha mão, tomou o celular e saiu correndo. Aí o pessoal gritou pega ladrão, pega ladrão. O pessoal deu uns chutes nele, amarrou e chamou a polícia”, disse a motorista.

Ela é de Minas Gerais, mas mora em Guarapari há 19 anos e nunca havia sido assaltada. “Foi horrível. Eu comecei a chorar e tremer. Nunca pensei que iria passar por essa situação”, desabafou.

Acidente. Além de cometer o assalto, Davison acabou causando um acidente. Segundo a motorista, um motociclista de 21 anos e seu irmão estavam passando pelo local e ao  perceber que o assaltante estava tentando fugir dos populares, o motociclista colocou a perna para tentar impedi-lo. Mas ele perdeu o equilíbrio e os dois acabaram caindo da moto. O motociclista teve um grande ferimento em uma das pernas e seu irmão quebrou uma perna. Os dois foram socorridos para Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e para o Hospital Francisco de Assis (HFA).

Faca em que o assaltante usou para roubar o celular da jovem na Praia do Morro. Foto :Rafaela Patrício

Praia do Morro. O segundo assalto aconteceu por volta das 13h30 na avenida Atlântica, na Praia do Morro. Segundo o delegado de plantão, Josafá da Silva, Ezequias Siqueira dos Santos, de 24 anos, ameaçou matar uma jovem com uma faca se ela não entregasse o celular. Mas quando ele fugiu com o aparelho ela gritou para pegarem o ladrão e os populares também o renderam.

O delegado afirmou que a participação popular ajudou a prender os criminosos, mas lembrou que as pessoas não devem reagir a um assalto nem fazer justiça com as próprias mãos. “Eles são violentos e não tem nada a perder por isso, as pessoas devem tomar cuidado e não reagir. Elas também não devem fazer justiça com as próprias mãos. Elas podem prender e chamar a polícia, mas agredir não porquê se fizerem isso, vão responder a processo por lesão corporal”.

Autuações. De acordo com o delegado, Davison será autuado por roubo, cuja pena é de até 10 anos. Já Ezequias será autuado por roubo qualificado porquê usou a faca para ameaçar a vítima. A pena é de até 15 anos de prisão.