A dona de casa vai precisar preparar o bolso. Com o anúncio de que o gás de cozinha vai subir até 15% a partir desta quinta-feira (1), o preço do botijão vai passar a custar até R$ 65 em Guarapari, e o consumidor já deve começar a sentir o aumento, na segunda-feira (5).

gas_002 É que com o reajuste por parte das distribuidoras neste primeiro dia do mês de setembro, os revendedores de gás começam a receber o produto com o novo valor a partir da próxima semana. Em uma revendedora do bairro Aeroporto, o valor do botijão que era comercializado a 55 reais para entrega, vai passar para R$ 65,00.

Já em uma revendedora na Praia do Morro, o reajuste por parte da companhia foi de 8 reais, e a botija não deve ultrapassar os R$ 55. “Nós atualmente vendemos gás a 50 reais. Por causa do reajuste, o valor vai passar para R$ 52 para buscar no local e R$ 55 para entrega. É complicado, mas não jeito, a gente precisa repassar esse aumento também para os nossos clientes”, esclarece Wallace Luiz.

Sindicato. O diretor do Sindicato das Revendas de Gás de Cozinha do Espírito Santo (Sinregás), Flávio do Valle comenta que o preço, atualmente, nas revendedoras está entre R$ 50 e R$ 55 na Grande Vitória. Em 12 meses, a inflação do gás de cozinha bateu 10,02% na capital, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

botija-1466621 “Esse reajuste é feito anualmente, depois de todo dissídio que temos nas companhias e nas revendas de gás, feitos em agosto. Os salários dos trabalhadores aumentaram em torno de 9%, mas tivemos também aumentos de combustível, energia, ou seja, o custo operacional. O último reajuste que tivemos foi em setembro do ano passado, quando o botijão saiu de R$ 45 para R$ 55”, destacou Valle.

Hoje, no estado, há cerca de 1.800 postos de revenda legalizados. O setor emprega em torno de 10 mil trabalhadores. O aumento deve ser repassado aos poucos, seguindo a chegada dos novos estoques com os valores atualizados. A previsão é a de que até a primeira quinzena de setembro todas as lojas trabalhem com preços mais altos.

A Petrobras ainda pode fazer um reajuste a mais, como fez no ano passado, quando foi anunciado às 18h do dia 31 de agosto que o valor iria subir 15%. Com informações do G1