O prefeito de Guarapari reuniu na manhã de hoje (13) alguns produtores rurais para discutir a situação do funcionamento da feira do centro da cidade nas sextas feiras. A prefeitura havia publicado um decreto proibindo o funcionamento na sexta, alegando que isso prejudicava os produtores de Guarapari, pois os produtores que vendem na sexta a noite  seriam de fora da cidade.

Na reunião, realizada no auditório da secretaria de educação, com a presença de alguns vereadores e secretários, o prefeito ouviu os produtores para escolher que tipo de ordenamento seria feito. A maioria dos produtores presentes votou pelo não funcionamento as sextas e pela mudança no horário de funcionamento nos sábados.

O prefeito ouviu os produtores para escolher que tipo de ordenamento seria feito. Foto: Wilcler Lopes

“Será feito um novo decreto que vai ficar estabelecido que a feira vai funcionar de quatro da manhã de sábado até as quatorze horas da tarde; até que a gente estude uma maneira de pensar o que que nós vamos avançar em termos de sexta feira”, disse prefeito.

Ainda segundo o prefeito, a secretaria de agricultura vai se reunir com os produtores. “Nós vamos conversar com os produtores de fora e  vamos arranjar uma melhor metodologia com os produtores de Guarapari, para nós podermos atender a população e os produtores”, disse Edson Magalhães.

Para o vereador Clebinho Brambati a reunião foi muito importante. “A reunião foi positiva pois trouxemos o produtor para de fato ouvir dele o que ele acha da situação. A feira tem o objetivo de fortalecer o agricultor de Guarapari, que gera renda e emprego em nossa cidade. Os agricultores expressaram a vontade deles ao prefeito e ele mostrou que não está de portas fechadas, mostrou que está aberto ao diálogo”, explicou.



Segundo o prefeito, a secretaria de agricultura vai se reunir com os produtores. Foto: Wilcler Lopes

Tensão. Durante a reunião foi bastante discutido o fortalecimento dos agricultores e das feiras do Centro e Muquiçaba, além de outros projetos que o prefeito está preparando para a cidade. Ele falou que vai mudar o local da feira de Muquiçaba, fazer a reurbanização da orla da Prainha e fazer investimentos no mercado de peixes do Centro. 

Mas a reunião não foi só de diálogos. Na entrada do auditório o delegado aposentado Alexandre Lincoln, sua esposa Neliana, que queriam participar do encontro como usuários da feira às sextas-feiras e também Iraci Marques, que participa do Movimento Urbano, alegaram que foram barrados para participar da reunião com os agricultores.

Trabalho. Perguntado sobre essa situação, o prefeito disse que era uma reunião de trabalho e que inclusive um convite falso circulou pela cidade. “Com o maior respeito ao delegado, mas essa reunião é com os feirantes. Eles me mostraram um convite que é falso. Eu não fiz convite para essa reunião na prefeitura. Eu vou apurar isso aí”, disse o prefeito.

Ainda durante a reunião, o prefeito solicitou que Sebastião Campos, do Movimento Urbano, que acompanhava a reunião ao lado do vereador Denizart, desligasse o celular. Os dois bateram boca por alguns instantes, mas depois a reunião prosseguiu sem maiores problemas. 

Banner Marcelo
Institucional M Conveniências [banner top]
Institucional Basic Idiomas
Institucional Karla
Institucional MAllagutti

Institucional Flex Motors [banner final]
Dia D Docutum


3 COMENTÁRIOS

  1. O prefeito ouviu os feirantes? e que tal se ouvisse também o restante da população que sempre comprou nas sextas? acho que ele esquece (como é o normal nesta administração) de ouvir o grosso da população que gosta de fazer suas compras nas sextas e ter as manhãs de sábado livre, longe do sol e da confusão que é esta feira nos sábados e melhor ainda economizando uns trocados já que não pagaria o rotativo.

  2. Não alegamos nada, realmente fomos impedidos de participar da reunião que para o Prefeito era assunto de trabalho e meu ver, tratava-se de assunto de interesse público, razão pela qual minha esposa e eu, estávamos lá como cidadão, defendendo o interesse coletivo.

  3. Aqui é o Alexandre Linconl, Delegado de Polícia aposentado, minha esposa e eu não fazemos parte de nenhum movimento, nos encontrávamos no local da reunião porque, na qualidade de cidadão e usuário da feira nas sextas, desejávamos ouvir o que seria discutido, infelizmente o interesse pessoal sobrepujou o interesse coletivo, em especial daqueles que faziam suas compras nas sextas. Tudo isso para atender interesse pessoal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here