A Prefeitura de Guarapari, através da Secretaria Municipal de Trabalho, Assistência e Cidadania (Setac) e Secretaria de Postura e Trânsito, realizou na última sexta-feira (25) uma reunião com as lideranças religiosas da cidade para buscar solução para o aumento no número de moradores em situação de rua, em Guarapari.

A reunião contou com a presença da secretária de Trabalho, Assistência e Cidadania Shirley Pereira, secretária de Postura e trânsito Cláudia Martins, a secretária adjunta da Setac Rosana Pinheiro, a Coordenadora de Abordagem e Acolhimento aos Moradores em Situação de Rua, Graça Grataroli, vereador Denizar Luiz (proponente da Audiência Pública sobre Moradores em Situação de Rua – 2017), representante da Polícia Militar, pastores, representantes da Pastoral do Povo de Rua e equipe da Setac. 

Durante a reunião a secretária de Trabalho, Assistência e Cidadania explicou como funciona o trabalho da sua equipe, o que vem sendo desenvolvido, quais são as cobranças da população e afirmou que para resolver a questão é precisa um trabalho em conjunto de toda sociedade. “Nós queremos caminhar juntos, contando com a experiência de vocês na abordagem a essas pessoas, pensarmos juntos em soluções para diminuir esses números. Para isso é preciso que as lideranças religiosas aceitem a nossa proposta de parceria”, afirmou Shirley Pereira.

Para o Pastor Samuel Kneipp, o grande problema enfrentado hoje pelo município são os trecheiros. “Guarapari é uma cidade turística que tem atrativos de paisagem e turismo belíssimo, isso atrai um fluxo muito grande de trecheiros, pessoas que vão de cidade em cidade, conhecendo os lugares e ficam na rua, trabalhando com artesanato para juntar dinheiro e ir para outro município”.

Os participantes chegaram em um acordo de que é necessária a criação de uma comissão para tratar da situação dos moradores em situação de rua na cidade e juntos eles criaram essa comissão, composta de representantes do Poder Público Municipal e lideranças religiosas, representantes da segurança e pessoas envolvidas com o tema. “Não podemos trabalhar de forma isolada, só assim vamos resolver esta situação”, disse a secretária de Postura e Trânsito, Cláudia Martins.

Agora essa comissão vai se reunir de quinze em quinze dias, sempre às sextas-feiras, e juntos irão fazer um levantamento sobre os diversos grupos de pessoa em situação de rua, trazer propostas e discutir ações conjuntas no combate ao aumento desses números em Guarapari.

Atendimentos na Casa Dia. Em uma pesquisa realizada pela Equipe da Casa Dia, neste mês, mostra que Guarapari possui hoje aproximadamente 57 moradores em situação de rua, sem contar o número de dependentes químicos que possuem residência e família na cidade, mas que vivem pelas ruas em decorrência do vício.

Dois lugares são considerados os pontos de maior concentração de moradores em situação de rua, a região central da cidade e a Av. Paris, na Praia do Morro.

De janeiro a abril deste ano, a Casa Dia realizou 97 novos cadastros de pessoas que recebem ou receberam atendimento no local, 12 pessoas retornaram para casa, 36 fortalecimentos de vínculos familiares, 13 internações, 61 retornaram para sua cidade de origem, foi cadastrada uma residência inclusiva, 29 pessoas conseguiram a segunda via de seus documentos e 23 pessoas que precisavam de atendimento emergencial de saúde foram encaminhadas e atendidas pela Unidade de Pronto Atendimento.

A Casa Dia, localizada no bairro Ipiranga, atende em média 35 pessoas por dia, oferecendo orientações, encaminhamento para tratamento de saúde e acompanhamento em casos que necessitam de atenção contínua, trabalhos de conscientização, material e espaço para higiene pessoal e triagem para passagens quando solicitado.

“Com intuito de amenizar esse problema, estamos buscando apoio e nos próximos dias iremos nos reunir com as igrejas e líderes religiosos”, finalizou a secretária de trabalho, Assistência e Cidadania.

*Com informações da Prefeitura de Guarapari

Deixe seu comentário