A prefeitura de Guarapari oficializou o seu desejo de voltar com o estacionamento rotativo. Ela tornou público através da publicação de uma “Justificativa De Conveniência da Outorga”, que lançará o edital de licitação com a “a intenção de realizar concessão para concessão onerosa para implantação do serviço de estacionamento rotativo público pago”, diz a publicação no diário oficial desta segunda-feira (10).

Democratizar. Ainda de acordo com a publicação assinada pelo prefeito Edson Magalhães,  o  “Estacionamento rotativo, em vias públicas, é um instrumento de engenharia de tráfego criado com o objetivo de permitir que várias pessoas possam ocupar a mesma vaga ao longo do dia, quando o volume de veículos que deseja estacionar em uma determinada localidade é maior que a quantidade de vagas disponíveis, democratizando o uso do espaço público em área onde o espaço é escasso”.

Prefeitura informou que lançará o edital de licitação com a “a intenção de realizar concessão para concessão onerosa para implantação do serviço de estacionamento rotativo público pago”.

Gestão de trânsito. Ainda segundo a justificativa, “O estacionamento rotativo pago em vias e logradouros públicos, é um poderoso instrumento de gestão de trânsito, enquanto ordenador do uso do solo viário urbano. Esta é a melhor opção de que dispõe as cidades que desejam efetivamente resolver o problema da carência de vagas de estacionamento em regiões comerciais e de serviços”.

Organização. A prefeitura faz uma série de explicações sobre a necessidade da reimplantação do estacionamento rotativo e afirma que “Com o elevado número de veículos, cadastrados nesta cidade a Prefeitura necessita adotar medidas que venham proporcionar soluções eficazes para a fluidez do trânsito, objetivando o conforto e a segurança para os usuários dos estacionamentos em vias públicas.  Consequentemente, com adoção do estacionamento rotativo, espera-se a melhoria do fluxo de veículos, a organização da cidade e melhores resultados para as empresas localizadas na área comercial da cidade, visto que os usuários serão beneficiados com a democratização das vagas de estacionamento.”

Validade. A empresa vencedora da licitação, que ainda não foi aberta, terá um prazo de concessão de 10 (dez) anos, contados da data da assinatura do contrato, o qual poderá ser prorrogado, por uma única vez e por igual período, desde que a concessionária requeira a prorrogação em até 12 (doze) meses antes do seu vencimento e mediante comprovação do atingimento dos percentuais relativos aos indicadores de desempenho estabelecidos no contrato.

Deixe seu comentário