O Centro de Detenção e Ressocialização de Linhares (CDRL) realizou nos dias 25, 26 e 27 de outubro a 1ª Feira de Ciências e Mostra Científica, com os alunos internos da unidade prisional. O evento contou com 24 trabalhos elaborados pelos alunos da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio (EEEFM) Professor Manoel Abreu, que atende à unidade prisional, por meio da Secretaria da Educação (Sedu).

Os trabalhos foram orientados pelos professores das áreas das Ciências da Natureza (Química, Física, Ciências e Biologia) Rodrigo da Vitória Gomes, Merian Souza da Penha Jacob, Joabe Lopes Silva e Maria da Penha Bonisenha. Segundo o docente Rodrigo da Vitória Gomes, o evento promove a competitividade científica e incentiva alunos e professores do Ensino Fundamental e Médio a planejar e executar trabalhos científicos.

“A atividade possibilitou aos alunos a oportunidade de construir seu conhecimento de forma criativa. Nesse contexto, as feiras de ciências ultrapassam a simples questão expositiva e alcançam o patamar de produção do próprio conhecimento científico. A interação com a comunidade e a investigação de temas e problemas de interesse do grupo se constituem em uma educação para a cidadania, na medida em que os alunos a reconhecem, debatem e buscam soluções ao problema investigado”, destacou o professor Rodrigo da Vitória Gomes.

O evento foi dividido em duas categorias, sendo elas: Mostra Científica, com a divulgação de trabalhos já existentes de autoria ou não dos participantes, com a apresentação de experimentos; e Feira de Ciências, que teve como foco projetos inovadores.
Durante a feira, os alunos tiveram o tempo de dez minutos para a exposição dos trabalhos, que passaram pela avaliação de uma banca examinadora. Entre os projetos apresentados, estão trabalhos como Estudo preliminar da despolimerização do politereftalato de etileno (PET) por glicerólise – Um destino para os plásticos de um presídio; Produção de Gás hidrogênio a partir da reação com alumínio em hidrólise alcalina”; máquina de solda de baixo custo; Bomba de oxigênio, sem uso de energia elétrica, para beneficiar a piscicultura desenvolvida na unidade prisional, além da criação de desinfetante artesanal.

Também fizeram parte da exposição trabalhos como uma chocadeira para aumentar a produtividade da granja CDRL, ranicultura, aquaponia, mini cisterna e uma maquete de casas com energia eólica, bem como o projeto de biodigestor, entre outros.

Os trabalhos tiveram pontuação de 0 a 100, com emissão de certificados. Os cinco melhores projetos foram premiados. O aluno interno Carlos Gomes Bedine, que está no 1º ano do Ensino Médio, participou da Feira de Ciências com o projeto de desinfetante artesanal, criado com cascas de limão e eucalipto. “O que aprendemos foi surpreendente. Estudamos, fizemos experimentos e vimos como a química pode ser usada no nosso cotidiano. É um aprendizado que abre a nossa mente e vai trazer muitos benefícios para minha vida”, contou.