O secretário de Desenvolvimento de Anchieta, Marcos Kneip,  está esperançoso pela volta da Samarco por conta da contratação de uma terceirizada que vai fazer serviços de manutenção nas máquinas das usinas 1 e 2 da empresa. Para ele essa contratação pode ser vista como a aproximação da volta das atividades na região e também como uma oportunidade de geração de emprego para a cidade.

Para o secretário de Desenvolvimento, Marcos Kneip, a contratação da terceirizada pode indicar a proximidade da volta das atividades.

Segundo o secretário, esse pode ser encarado como um bom sinal.  “Ao nosso ver isso pode indicar o retorno das atividades da Samarco. São manutenções mecânicas das máquinas e isso aponta uma retomada. Nós estamos com a expectativa de que a empresa volte já no segundo semestre desse ano”, afirmou o secretário.

Anchietenses. A Prefeitura de Anchieta divulgou na última sexta-feira (23), uma nota oficial que falava sobre o empenho em conseguir oportunidades de trabalho para os anchietenses no serviço de manutenção que será realizado nas usinas.

“A prefeitura trabalhou junto com a empesa contratada para que conseguíssemos o maior número de vagas para os munícipes de Anchieta, até porque eles não são obrigados a destinar vagas para cá, já que são uma empresa privada e podem contratar quem quiserem. Mas articulamos, e eles se comprometeram a contratar pessoal daqui”, ressaltou o secretário.

Secretário de Desenvolvimento de Anchieta, Marcos Kneip

Kneip explica a divisão das vagas. “12 vagas são de pessoas do quadro fixo da Samarco que vão trabalhar na parte administrativa. 21 pessoas já estão contratadas, sendo que a empresa destinou 77% para anchietenses. E outras 16 serão selecionadas a partir de março deste ano, e também pedimos prioridade para a mão de obra ser do município”, disse.

O secretário fala ainda sobre o impacto que a cidade sofreu com a ausência da empresa. “A paralisação das atividades da Samarco prejudicou o desenvolvimento econômico do município. Para se ter uma ideia, ela representava 5% do PIB de todo Estado, imagine o peso disso para Anchieta. Aumentou muito o desemprego, e houve uma queda muito grande na arrecadação de impostos do município, o que impactou diretamente os setores. A prefeitura vem se esforçando ao máximo para tentar equilibrar as contas, mesmo com o orçamento restrito”, comenta.

Na tarde desta segunda-feira (26), o prefeito de Anchieta Fabrício Petri, o secretário de Desenvolvimento, Marcos Kneip, e o secretário da Fazenda, Dirceu Porto de Mattos, estão reunidos com o presidente da Samarco para tratar do possível retorno das atividades. O Portal 27 vai apurar os resultados desta reunião.

Depois da publicação desta reportagem, a Samarco procurou a equipe do Portal 27 a fim de esclarecer o motivo da manutenção que fará nas usinas. “A Samarco informa que contratou uma empresa para realizar serviços de manutenção das estruturas metálicas de todas as usinas da unidade de Ubu, em Anchieta (ES). A empresa esclarece que os serviços serão realizados para conservar os ativos da unidade.

Sobre o retorno das operações da empresa: Para voltar a operar, a Samarco precisa obter duas licenças ambientais, cujos processos estão em andamento na Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Minas Gerais (Semad-MG). Não há data prevista para o retorno das operações.
O primeiro licenciamento refere-se ao sistema de disposição de rejeito Cava de Alegria Sul, cujo processo foi iniciado em junho de 2016. Esse licenciamento busca a autorização para disposição de rejeitos na cava, local onde a empresa anteriormente extraía minério de ferro. Em dezembro de 2017, o Conselho de Política Ambiental da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Minas Gerais (Semad) aprovou as licenças prévia (LP) e de instalação (LI) do sistema de disposição de rejeito Cava de Alegria Sul. As licenças prévia e de instalação permitirão que a Samarco prepare a cava para o recebimento dos rejeitos. 
Para voltar a produzir, a Samarco depende ainda da Licença de Operação da cava de Alegria Sul e da conclusão do Licenciamento Operacional Corretivo (LOC) do Complexo de Germano, em Mariana e Ouro Preto. O LOC visa regularizar todas as licenças de Germano, que foram suspensas pela Semad em outubro de 2016. O Estudo de Impacto Ambiental (EIA) desse processo foi protocolado na Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Minas Gerais em setembro de 2017. Esse processo de licenciamento contou em dezembro de 2017 com três audiências públicas nas cidades mineiras de Matipó, Mariana e Ouro Preto, com a participação de cerca de 2.500 pessoas“, comentou a Samarco, através de nota.

Deixe seu comentário

Comments are closed.