Após a invasão de terrenos no loteamento próximo ao bairro Coroado na semana passada, hoje a empresa  proprietária do terreno conseguiu uma vitória na justiça.

A justiça expediu um mandado de reintegração de posse em favor do proprietário da área onde fica o “loteamento Independência” em Guarapari, em que desde a semana passada, cerca de 550 famílias demarcaram terrenos e invadiram o loteamento.

Hoje dois oficiais de justiça, juntamente com representantes da prefeitura e cinco viaturas da Polícia Militar foram até o local.

De acordo com o capitão Lorencini da PM, que deu apoio na operação, hoje o objetivo foi informar aos ocupantes, que existia um documento de reintegração de posse. “Foi feito uma reunião na rua, onde divulgamos e mostramos o documento para as pessoas. Foi solicitado que eles saíssem dali em no máximo uma semana, porque o proprietário vai limpar os terrenos”, explicou.

lorencini
De acordo com o capitão Lorencini da PM, hoje o objetivo foi informar aos ocupantes, que existia um documento de reintegração de posse. Foto: Reprodução TV Guarapari;

Ainda de acordo com o capitão durante  reunião houve um pequeno tumulto em que três pessoas acabaram detidas.“Uma das pessoas estava com dois facões na mão, na iminência de agir contra a polícia  e desobedeceu a ordem de jogar os facões no chão. E foi apreendido ainda um menor que esvaziou o pneu de uma viatura”, disse. Os detidos foram conduzidos ao DPJ, mas assinaram Termo Circunstanciado (TC) e foram liberados.

Os ocupantes do loteamento vão realizar  amanhã cedo, uma reunião com um advogado, na tentativa de recorrer da decisão judicial.

Invasão. Desde a semana passada, um grupo de cerca de 550 famílias está ocupando uma área de aproximadamente 200mil metros quadrados, referente a 630 lotes, do loteamento Independência em Guarapari.

A ocupação começou a ocorrer desde a última quinta-feira, após um grupo de pessoas alegarem que o dono do local teria morrido e a área estaria inutilizável há mais de quarenta anos.

DSC08729
Terrenos foram demarcados por moradores. Foto Wilcler Lopes

De acordo com o pescador, José Antonio Fernandes, 39 anos, as famílias da região teriam visto o local sujo e inutilizável e resolveram se apossar. “Além da sujeira, já vimos ladrões e estupradores nessa área, ficamos sabendo que o dono morreu e resolvemos invadir”, relatou José Antonio.

Ele e outros moradores formaram grupos e já estariam com uma relação de 550 famílias interessadas em ocupar os terrenos no local. As áreas já foram demarcadas por cercas improvisadas e piquetes e até placas com nomes dos proprietários foram colocadas nos lotes.

Segundo o porteiro, Valdson Pereira Lima, 34 anos antes de invadir a área, o grupo teria procurado saber se os impostos estavam pagos. “Nós detectamos que os impostos não estavam pagos, por isso resolvemos invadir e só iremos sair caso a justiça ordene e comprove que o dono pagou os impostos”, desabafou.

DSC08725
Moradores tem uma semana para sair dos terrenos. Foto Wilcler Lopes

Uma moradora que tem imóvel no local, afirmou que foi procurada para também invadir o local. “Eles me mandaram escolher um terreno e marcar para mim. Mas eu não quis. Eu já tenho a minha casa que comprei com muito trabalho. Quero nada que é dos outros não”, afirmou.

Por Wilcler Carvalho Lopes e Rosimara Marinho.

Deixe seu comentário