A Fundação Primeiro de Maio, em Parceria com o Solidariedade/ES, promove, no dia 26 de novembro, quinta-feira, de 8 às 12 h, o Segundo Ato de Solidariedade no combate à violência contra a mulher. O trabalho acontecerá no auditório 2, da Assembleia Legislativa e contará com a presença de autoridades capixabas e também de fora do estado, além de especialistas no assunto e militantes da causa.

Diversos assuntos ligados à mulher serão debatidos. Os vários tipos de violência, a identidade da mulher capixaba e a eficácia (ou não) das políticas públicas existentes para as mulheres serão alguns pontos chaves.

violencia-contra-mulher-02 Após o ciclo de palestras, um ato simbólico tomará as ruas do centro da Capital, para marcar a importância do combate à violência contra a mulher. Participarão do evento a Presidente da Secretaria Nacional das Mulheres do Solidariedade, Eunice Cabral, a vice presidente da mesma instituição, Dra. Denise Nery, a assistente social Janety Martins, o presidente nacional da Força Sindical deputado Paulo Pereira da Silva, autoridades e convidados especiais de todo o estado.

Vale saber:

Dados coletados pela Central da Mulher – Secretaria de Políticas Públicas para as Mulheres da Presidência da República. Espírito Santo é o recordista em homicídios de mulheres, com 8,6 casos por 100.000. No mapa mundial desse tipo de violência, o Brasil ocupa a quarta posição, ficando atrás de países como Rússia, Guatemala, Venezuela e El Salvador.

Convite Ato em Combate à Violência Contra a MulherNo período analisado no estudo (2003-2013), apenas seis unidades da federação conseguiram reduzir seus indicadores de homicídios contra mulheres: Amapá (-5,3%), Rondônia (-11,9%), Pernambuco (-15,6%), Rio de Janeiro (-33,3%) e São Paulo (-45,1%) e Mato Grosso (-16,6%).

A capital brasileira com mais homicídios de mulheres é Vitória (11,8 por 100.000). 43% das mulheres em situação de violência sofrem agressões diariamente; para 35%, a agressão é semanal. Em 2014, do total de 52.957 denúncias de violência contra a mulher,51,68% corresponderam a denúncias de violência física, 31,81% de violência psicológica, 9.68% de violência moral ,1,94% de violência patrimonial, 2,86% de violência sexual, 1,76% de cárcere privado e 0,26% envolvendo tráfico. Dos atendimentos registrados em 2014, 80% das vítimas tinham filhos, sendo que 64,35% presenciavam a violência e 18,74% eram vítimas diretas juntamente com as mães.

Serviço:

2 Ato de Solidariedade no combate à Violência contra a mulher

Data: 26 de novembro, de 8 à 12 h,

Local: Auditório 2 – Assembleia Legislativa do Espírito Santo

Informações: imprensa@solidariedadees.org.br ou silviamagnals@gmail.com

Telefone: 99771-3500