Os irmãos Leocir Braz Pretti e Jacimar Pretti foram presos pela equipe da Delegacia de Crimes de Trânsito com o apoio da Delegacia Regional de Colatina. Eles são proprietários da empresa Jamarle Transportes, responsável pela carreta que causou o acidente na BR101, em Guarapari, que resultou na morte de 23 pessoas e deixou dezenas de feridos.

No acidente entre a carreta, um ônibus e duas ambulâncias 23 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas.

O delegado da Delitos de Trânsito Alberto Roque explicou que após o acidente, solicitou a 1ª Vara  de Guarapari a interceptação telefônica dos dois e que com autorização da Justiça suas ligações foram acompanhadas durante 15 dias pelos policiais. “Nessa interceptação ficou comprovado que os empresários continuaram fazendo a mesma prática que eles faziam antes das mortes. Ou seja, excesso de carga, má manutenção dos veículos, fugas das fiscalizações. Isso comprovou o dolo eventual, ou seja, que eles assumiram o risco do resultado morte e não se importaram com ele. Tanto que continuaram fazendo as mesmas coisas”.

Segundo o delegado, durante a interceptação os irmãos também foram pegos oferecendo vantagens as testemunhas. “Ele ofereceu para um ex-motorista de readmiti-lo se ele falasse determinadas coisas na delegacia durante o depoimento. Os outros empregados se reuniram com eles e foram orientados a vir a delegacia e mentir”.

Ele relatou que nesta quarta-feira (23) ouviu dois motoristas que trabalham na empresa e que já tinha as conversas deles com os empresários gravadas onde foram orientados a fugir da fiscalização porque estavam com excesso de peso. “Durante o depoimento um deles mentiu dizendo que nunca foi orientado a fugir da fiscalização e que nunca dirigiu com excesso de peso a mando da empresa. Foi dada voz de prisão por falso testemunho e após isso, a testemunha mencionou que não foi orientada, mas sim coagida. Ou seja, se ela não mentisse, iria ser mandada embora. Em uma época de crise como a que estamos enfrentando no país, tanto para mim como para o Ministério Público ficou claro que isso é uma grave ameaça, uma coação a testemunha”.

Veja o vídeo do depoimento da testemunha:

Na mesma quarta-feira foi pedida a prisão temporária dos dois empresários. O Leonci Braz Pretti foi preso no mesmo dia às 17h30 na oficina em Baixo Guandu. Já Jacimar Pretti se apresentou na quinta-feira (24) na Delegacia Regional de Colatina. Os dois estão presos no Centro de Detenção Provisória de Colatina e serão ouvidos na próxima semana. “Vamos ouvir outras testemunhas neste período. Agora sem o risco de serem ameaçadas ou aliciadas”, disse o delegado.

De acordo com o delegado, o próximo passo para concluir o inquérito e o resultado da perícia. “Vamos aguardar a conclusão do laudo pericial que já está em fase final de confecção. São três peritos que desmontaram o caminhão todo, analisaram e fizeram uma perícia completa do fato. Também estamos aguardando o retorno dos depoimentos de algumas vítimas que sobreviveram que virá dos locais de domicílio delas. Após as oitivas da semana que vem, pretendemos concluir este inquérito com esse indiciamento”.

Ainda de acordo com Roque, os dois  irmão vão responder por 23 homicídios por dolo eventual e até o momento são cinco representações de lesões corporais dolosas. Eles também irão responder por coação as testemunhas e oferecer vantagens indevidas para elas mentirem em juízo.

Comments are closed.