A Polícia Civil prendeu na noite de ontem (19), um estelionatário que enganava várias pessoas cobrando R$ 500 de pessoas que queriam trabalhar embarcadas em uma plataforma de Macaé, no Rio de Janeiro. O salário prometido variava de R$ 3.700, a R$ 6 mil.

Everaldo Viana de Souza, de 55 anos, foi preso após 10 vítimas registrarem queixa sobre o homem, na 5ª Delegacia Regional, em Guarapari. Everaldo é carioca, e se apresentava como soldador aposentado.

O valor cobrado, era segundo o estelionatário, para os custos com cursos exigidos para o embarque. Um pintor de 34 anos, que não quis se identificar, conta que ele o irmão pagou a quantia e fizeram o curso de pintor industrial, que na verdade, era falso.

Everaldo Viana de Souza, de 55 anos, foi preso após 10 vítimas registrarem queixa

“É revoltante, mas nós caímos no golpe. Jamais esperávamos que tudo pudesse ser falso, por isso pagamos e aguardávamos os empregos. Começamos e desconfiar e hoje viemos aqui. Ele disse que ia levar as 25 pessoas embarcadas essa semana. Acredito que muitas outras caíram no golpe também”, comentou o pintor.

Outra jovem de 22 anos, desempregada, também pagou a quantia de R$ 500 para embarcar. Para ela faltava o curso de salvatagem, e o estelionatário emitiu o diploma após um dia de curso no escritório dele, que funcionava no Centro.

“Acho que caímos no desespero mesmo. A vontade de ter um emprego bom, nos permitiu cair no golpe. Esperamos receber ao menos o dinheiro de volta. Porque frustrados, nós já estamos”, disse ela.

Falsos. O delegado plantonista, Jefferson Wagner, disse que Everaldo confessou que cobrava apenas pelos custos com o embarque, o valor era pago voluntariamente, e os empregos não se tratavam de um golpe.

“Os documentos apreendidos no escritório comprovam que além de enganar as pessoas, ele também falsificava os diplomas e alterava informações da carteira de trabalho das vítimas, para que elas apresentassem experiências exigidas para o embarque. Os empregos eram falsos”, informou o delegado. Everaldo foi autuado por estelionato e falsidade ideológica, não cabendo fiança. O homem foi encaminhado para o CDP de Guarapari.

Deixe seu comentário