O prefeito Fabrício Petri segue empenhado para que Anchieta seja considerado município atingido pelo rompimento da barragem da Samarco. Na manhã desta quarta-feira (4), uma equipe de secretários da Prefeitura de Anchieta representou o município na 41ª reunião da Câmara Técnica de Economia e Inovação (CT-EI), realizada em Vitória com a fundação Renova, entidade responsável pela mobilização e reparação dos danos causados aos municípios capixabas e mineiros pelo rompimento da barragem de Fundão, distrito de Mariana (MG), em 2015.

A reunião aconteceu nesta quarta-feira (04)

De acordo com o prefeito Fabrício Petri, o objetivo foi apresentar os impactos econômicos que o município sofreu nesses últimos anos. “Infelizmente, Anchieta não foi considerada cidade afetada. Depois da crise da Samarco, a nossa arrecadação caiu e muitas demandas aumentaram nas áreas da educação e saúde. Precisamos de muito apoio para sanar essas dificuldades”.

No Espirito Santo, Marilândia, Baixo Guandu, Colatina, Linhares, Aracruz, São Mateus, Conceição da Barra, Fundão, Serra e Sooretama foram reconhecidos como municípios impactados pelo desastre em Mariana. A CT-EI vai elabirar novo documento pleiteando novamente ao Comitê Interfederativo o reconhecimento de Anchieta como cidade atingida.

Representaram o município na reunião o secretário da Fazenda Dirceu Porto, o secretário de Educação Carlos Balbino, secretária de Saúde Jaudete Frontino e a secretária de Integração, Desenvolvimento e Gestão de Recursos Paula Martins. A reunião também contou com a presença de empresários afetados do município de Anchieta.