Aos 28 anos de idade, Taiana Matos recebia seu novo coração. Era a possibilidade de melhorar a qualidade de vida da jovem que já estava com o órgão debilitado. Ela se mudou de Guarapari para São Paulo há mais de 50 dias, para ficar mais perto do hospital que faria o transplante cardíaco.

A notícia de que sua vez havia chegado, veio na última quinta-feira. Ela comemorou com o marido Patrick Vaillan, que estava ao lado dela esse tempo todo, os familiares e amigos mais próximos. O transplante aconteceu no sábado, mesmo dia em que a reação não foi como esperada.

“O órgão chegou a bater, ela viveu o coração novo por algumas horas, mas durante a noite, ocorreram algumas complicações e a Taiana não resistiu”, informou seu último story publicado no perfil do Instagram, Diário de uma Cardiopata.

Taiana foi enterrada na manhã desta terça-feira no Cemitério São Tobias, no Centro de Guarapari. Ela deixa dois filhos, o Eduardo de 10 anos e a Helena, que completou um ano no último dia 04.

Taiana se formou em Direito, tinha dois filhos, de 10 e 1 ano, e enfrentava a batalha por uma saúde melhor.

História. Taiana estava na fila do transplante de coração há mais de dois anos. O coração dela estava cansado após a luta contra duas leucemias aos 8 e 12 anos de idade. Após os tratamentos de quimioterapia, desenvolveu a insuficiência cardíaca, e precisou implantar um desfibrilador no peito.

Diagnosticada com cardiomiopatia dilatada, doença essa que reduziu a capacidade do coração de bombear sangue, sua fração de ejeção, que é a porcentagem de sangue do ventrículo esquerdo ejetado a cada batimento cardíaco era bem menor que o normal, e estava em 28%, por isso, entrou na fila do transplante.

Nas redes sociais, ela começou a contar sua história quando colocou o marca-passo, em junho de 2018. Foram inúmeras idas e vindas em hospitais do Espírito Santo e São Paulo, até o transplante. O Diário de uma Cardiopata estará vivo em nossos corações para sempre!

Deixe seu comentário