Talvez você não os conheça, mas hoje vamos falar de quatro jovens de sucesso que viveram em Guarapari e hoje moram no exterior, dominam fluentemente a língua inglesa e têm se destacado em suas profissões. Liam Bononi, Everson Lima, Paulo Márcio e Beatriz Sesana conversaram exclusivamente com o Portal 27 e contaram um pouco de suas histórias.

Artista urbano conhecido internacionalmente, Liam Bononi, 27 anos

Artista urbano conhecido internacionalmente, Liam Bononi, 27 anos, nasceu em Uberlândia (MG) e cresceu em Guarapari, mudou-se recentemente de Guarapari para Liverpool, na Inglaterra, onde trabalha e reproduz sua arte. Rescentemente o Portal 27 mostrou uma matéria sobre ele. (Confira aqui).

Basic. Liam conta que a aprendizagem do inglês desde a infância na escola Basic Idiomas contribuiu imensamente para seu sucesso. “Fiz inglês lá desde os meus seis anos de idade. Atualmente estou morando em Liverpool, na Inglaterra, e o papel do Basic nisso foi fundamental. A maneira como eles dão os cursos para os alunos, a forma mais dinâmica de ensino de fazer você usar o inglês no cotidiano mesmo estando no Brasil, através de músicas e filmes, é um método muito bacana, muito funcional (…)”, afirmou falando também da importância da aprendizagem do idioma para o sucesso de sua primeira experiência fora do país, na Dinamarca, em 2016.

Nova York. Everson Lima, de 38 anos, nascido e criado em Guarapari, conta que saiu do Brasil aos 26 e foi trabalhar em Nova York como cabeleireiro. “Estudei no Basic durante seis anos e hoje moro em Nova York, o curso não só me ajudou bastante na língua inglesa como também no processo de vir morar aqui, e recomendo quem pensa em viajar ou morar fora estude no Basic, faz a maior diferença.”, afirmou.

Everson trabalha em Nova York como cabelereiro

Paulo Márcio, de 33 anos nasceu em Belo Horizonte (MG) e mudou-se para Guarapari com pouco mais de 1 ano de idade. Paulo é economista e saiu do Brasil para a Irlanda em 2017, onde trabalha como professor de inglês. “Não tenho nem palavras para agradecer, acho que primeiro, porque quando eu estudava no Basic era um ambiente muito gostoso, porque eu estava com todos os meus amigos. Era um ambiente muito mais do que uma escola (…), foi um lugar que realmente me despertou o interesse pelo inglês e quando eu manifestei esse interesse de outras formas e trouxe isso para dentro do Basic, ele me ajudou a deslanchar, me ajudou a aprender a língua, mas mais que isso, me ajudou a me comunicar. Além das memórias boas que eu tenho do Basic, das festas, das pessoas, dos meus amigos, o Basic me ajudou até na minha vida profissional, o Basic como professor de inglês, a minha base foi o Basic, os professores que tive no Basic, o jeito de dar aula do Basic (…). Até hoje o Basic é muito presente na minha vida diretamente (…) e indiretamente (…)”, afirmou.

Paulo Márcio é professor de inglês na Irlanda

Irlanda. Beatriz Sesana nasceu no Pará e mudou-se para Guarapari com 10 anos de idade. Hoje a jovem mora em Dublin na Irlanda e é formada em Design de Interiores. Beatriz conta que em sua trajetória no exterior, passou pela República Tcheca e pela Itália, onde trabalhou ensinando a cultura brasileira para as crianças, antes de chegar à Irlanda, onde também trabalha com os pequenos. Segundo a jovem, saber inglês foi decisivo para que ela saísse do Brasil em 2019, aos 26 anos. “O Basic idiomas me ajudou a abrir todos os meus horizontes, minha cabeça, tenho certeza que foi a melhor escolha da minha vida (…). É uma escola ótima, as pessoas que estão ali te tratam como pessoa, não como só mais um aluno, você não está ali para alguém te empurrar matéria (…) eles estão preocupados com como você está aprendendo. Tudo o que eu sei hoje, minha base todinha de inglês é do Basic. (…) Se eu não soubesse nada de inglês, eu não sairia do país, eu não me sentiria segura. (…) Acho que é a melhor escola de Guarapari para você aprender inglês (…), eu lembro dos meus professores até hoje (…), eu não passei dificuldade nenhuma, só aprendi mais saindo do Brasil, viajando e morando em um país que realmente fala a língua inglesa. Tudo o que estou recebendo aqui é mais informação, só aprimorando o que a gente sabe (…)”, finalizou.

Beatriz Sesana ensina cultura brasileira para crianças na Irlanda.

Trajetória. Léa Heard Travassos, fundadora da escola Basic Idiomas, juntamente com seu marido, Pedro Paulo Travassos e com sua amiga Dalvanira Pugliesi, conta que se emociona ao lembrar de toda a trajetória.

“São tantas assim recordações boas, né? Que fazem valer a pena esses vinte e sete anos de muita dedicação. A gente vê a vitória aluno. Hoje eu tenho vários alunos em várias áreas de atuação e todo mundo falando inglês, isso me dá um orgulho muito grande. Um aluno que é médico que vai atender um congresso lá fora e de lá manda foto pra gente dizendo, muito obrigado, eu não precisei de usar o tradutor simultâneo, entendi tudo em inglês. Então, isso aí pra gente é o melhor pagamento que uma escola pode ter, porque a gente sabe que está trabalhando com muita seriedade. (…) E os alunos que estão fora, que foram alunos, hoje todo mundo tão bem lá fora e agradecido. Essa gratidão deles comove demais a gente, é muito, muito bom mesmo, esse é o nosso diferencial”, afirmou contando também que pretende continuar seu trabalho enquanto tiver saúde.

Pedro Paulo Travassos, Léa Heard Travassos e Dalvanira Pugliesi

27 anos. Há 27 anos no mercado de Guarapari, o Basic Idiomas é uma escola independente que já tornou muitas pessoas proficientes na língua inglesa. Segundo Léa, o grande diferencial da escola é o material didático de excelência da Oxford University Press.

“Como não temos a obrigatoriedade de trocar de livro a cada 6 meses, nossos alunos têm a oportunidade de praticar oralmente e assim, conseguem efetivamente fluir no idioma. Outro grande diferencial é que trabalhamos muito a cultura anglo-saxônica e muitos dos nossos alunos que vão estudar ou morar fora nos EUA ou Europa não têm dificuldade alguma de se adaptar a cultura do país. Costumo dizer que inglês  não é só saber falar. Entender uma nova cultura faz parte do que eles aprendem conosco. Antigamente o inglês era considerado um diferencial, hoje não mais! Hoje é básico saber inglês e quem não domina acaba ficando fora do mercado de trabalho,  seja qual área for. Li há pouco tempo atrás, na vitrine de uma loja, “English spoken here” ou seja, até para ser vendedora de roupas,  o ideal é que saiba o idioma”, finalizou.

Inscrições abertas. O Basic Idiomas está com inscrições abertas para o segundo semestre, quem tiver interesse, pode entrar em contato pelo WhatsApp 27 99619.3859.  As aulas no período da pandemia estão sendo na modalidade on-line.

Deixe seu comentário