A equipe do Portal 27 recebeu hoje a reclamação de uma moradora da cidade acerca do atendimento do Hospital Infantil Francisco de Assis (HIFA). Segundo a mulher, que levou a filha ao HIFA nesta manhã (09) com suspeita de dengue, houve muita demora para finalmente realizarem o exame de sangue para comprovar a enfermidade. Por isso, a paciente e sua mãe apenas foram liberadas da unidade ao fim desta tarde.

De acordo com a mãe da paciente, nem a equipe de enfermeiros, nem a equipe de auxiliares foi aferir a temperatura da criança, tampouco verificar se o soro havia acabado. Essa demora, segundo ela, foi de cerca de duas horas. Quando foi solicitar acompanhamento após tanto esperar por assistência, a mulher se deparou com os funcionários do HIFA realizando uma confraternização de páscoa em pleno expediente. Confira o vídeo na íntegra.

A moradora contou ao Portal 27 que ficou “indignada com a falta de respeito ao ser humano e a falta de profissionalismo” da equipe do hospital. Ela questionou também a aglomeração de pessoas nessa confraternização, principalmente em tempos de pandemia do Covid-19.

Em resposta ao Portal 27, o HIFA esclareceu que “a criança já havia sido atendida, medicada e aguardava para a realização de exames. Ainda, que todo o atendimento e assistência médica, de enfermagem e laboratorial foi realizado conforme protocolo seguido pela instituição. Ressalta também que não houve demora no atendimento considerando os procedimentos necessários para medicação e realização de exames”.  
Na nota à redação, o HIFA reitera que “quanto a indignação da mãe da paciente, o HIFA esclarece que em função da proximidade da Páscoa, destinou 10 minutos para sorteio de chocolates aos colaboradores. A ação foi realizada com o apoio e doação dos coordenadores do Hospital e comerciantes locais e faz parte de projeto de bem-estar desenvolvido pela instituição neste momento tão difícil.
Um dos motivos da realização dessa atividade, como outras que estão acontecendo, como o projeto de meditação para os colaboradores, apoio psicológico individual e em grupo, transmissão de mensagens de apoio de familiares e pacientes, por exemplo, é proporcionar uma válvula de escape para se sentirem confiantes e queridos diante dessa batalha que está tão difícil para os profissionais da saúde. Aqueles 10 minutos foram somente um alento dentro de tudo que os profissionais estão propondo a fazer por toda a população.”