Cassado na tarde de ontem (14) por seus colegas de Câmara Municipal, o ex-vereador de Guarapari, Dito Xaréu (SDD), pode ter ainda mais problemas para resolver. O Portal 27 recebeu a informação que o Ministério Público do Espírito Santo (MPES), por meio da promotoria de Guarapari, abriu investigação sobre os áudios atribuídos ao vereador, onde ele supostamente pratica atos irregulares.

Uma fonte informou ao Portal 27 que o MPES já começou a intimar os envolvidos nos áudios para prestar depoimentos. “Essa investigação do Ministério Público pode ter consequências ainda piores para o vereador”, disse a fonte. Ainda de acordo com essas informações, alguns depoimentos serão tomados na semana que vem.

O ex-vereador Dito Xaréu foi cassado na tarde de ontem (14) por seus colegas de Câmara Municipal.

Sigilo. O Portal 27 entrou em contato com a assessoria do MPES para confirmar essas informações. Por meio de nota, o Ministério Público informou que está impedido, por força de lei, de se manifestar em procedimentos que tramitam sob sigilo.

Oficio foi entregue ao (MPES) e ao Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco)

Ofício. Quem entregou os áudios e o pediu investigação ao Ministério Público e ao Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) foi o presidente da Câmara, Enis Gordin (PRB), no dia 17 de maio. Isso gerou a investigação que começou agora.

Enis entregou um oficio e um CD com os áudios ao procurador de justiça e chefe do Ministério Público e ao Gaeco, pedindo na ocasião  que “Que sejam adotadas as medidas cabíveis e pertinentes relativas aos fatos” e narrando que tomou ciência dos áudios pela Rede Gazeta de Comunicação no último dia 15 de maio.

 “…onde um vereador desta Câmara demostra conduta ilícita e inadequada com o decoro parlamentar, no que sendo verdadeiros os atos ali relatados, há cometimento de crime que devem ser apurados na espera competente”, dizia parte do oficio.

Deixe seu comentário