Sem atracadouro pescadores predem barcos nas pedras e levam prejuízos. Foto: Rafaela Patrício

Há um ano o Canal de Guarapari passa por uma obra de revitalização, que promete melhorar a mobilidade e também construir um novo cais para as embarcações de pesca e passeio da cidade. Mas, enquanto a obra não fica pronta pescadores da região estão tendo prejuízos com suas embarcações.

O Márcio Ribeiro da Silva pesca há 5 anos e explicou que com a realização da obra eles ficaram sem ter onde atracar os barcos e precisam amarrá-los nas pedras que foram colocadas no local. Mas que quando a maré sobe começam os prejuízos. “Quando a maré enche o barco sobe e quando a maré vaza ele agarra. Aí quando a maré enche de novo vai entrando para dentro do barco e ele vai para o fundo. Já foi uns quatro barcos para o fundo nessa direção aqui”.

Ele relatou que o último caso aconteceu no domingo e que o dono do barco teve que contar com a solidariedade dos amigos para salvar a embarcação. “Aquele barco que está parado lá na coroa foi para o fundo anteontem. Nós amarramos e demos um reboque para cima da cora para quando a maré vazasse ele ficasse em cima da coroa para dar para tirar a água.  Agora ele não corre mais risco de ir para o fundo porque está em cima da coroa”.

Este barco afundou e foi arrastado por um grupo de pescadores até um bolsão de areia no meio do mar para retirarem a água. A embarcação foi preso no local para evitar mais prejuízos. Foto: Rafaela Patrício

Márcio também explicou que mesmo depois de recuperar os barcos, os pescadores levam prejuízos quando isso acontece. “O prejuízo é muito grande, tem que lavar motor, arranque, alternador. Molha as coisas tudo porque ele afunda todo, é um prejuízo muito grande”.

O pescador Augusto Ribeiro, que pesca há 25 anos, também reclamou dos prejuízos e disse que antes da obra de revitalização do Canal eles não passavam por essa situação. “Antes isso não acontecia porque tinhas os píeres, os atracadouros. Agora os atracadouros que tem são esses poucos aqui. Não pode ficar muito barco também porque estoura as cordas, aí os barcos vão para cima das pedras ou a maré leva, e a gente tem que está correndo e pedindo ajuda aos amigos para puxar. Vira e mexe tem prejuízo para a rapaziada com esses barcos batendo nas pedras. Se não avariar o casco, é só tirar. Mas se avariar, tem que levar para o estaleiro. São muitos transtornos”, desabafou.

Pescadores afirmam que antes da obra tinham píeres para prender os barcos e agora usam pedras enquanto aguardam o fim da obra de revitalização do Canal. Foto: Rafaela Patrício

Para Augusto a construção do novo cais tem que ter prioridade para dar melhores condições de trabalho para os pescadores. “Eles têm que fazer os píeres direitinho para os barcos porque são muitos barcos que ficam aqui. Tem que adiantar essa obra aí e dar prioridade para esse cais para as embarcações pesqueiras terem condições de atracamento. Para a gente fazer uma manobra melhor e atracar melhor porque fica difícil atracar aqui. Tem dia que tem maré e a gente não pode nem sair do lugar, tem que esperar a maré boa para sair porque se sair é arriscado jogar o barco do amigo para cima da pedra”.

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER-ES), que é o responsável pela obra, informou que na execução da Nova Orla do Canal de Guarapari está sendo construído um novo cais para o atracamento de embarcações de pesca, turismo e lazer. Disse ainda que foi feito o enrocamento de rochas para construção do cais e que tem feito reunião com moradores e pescadores para informar sobre o andamento das obras e tirar as dúvidas da comunidade. As intervenções no Canal da Orla incluem também ciclovia, bicicletário e revitalização do espaço.

Comments are closed.