BRASÍLIA – AGENCIA CONGRESSO – Uma reunião secreta ocorrida há duas semanas em Brasília, mais precisamente na sede do PMDB nacional, no Congresso, reuniu o ex-governador Paulo Hartung, senador Ricardo Ferraço e deputado Lelo Coimbra.

Os três caciques do PMDB-ES foram convidados pelo presidente nacional da sigla, senador Valdir Raupp (RR), que fez um apelo para que o PMDB capixaba lance candidato ao governo e ao Senado, ano que vem.

E mais: disse que falava em nome do vice presidente da República, Michel Temer. Uma conversa anterior – sem a presença de Hartung- ocorreu no final de abril. Também determinada pela candidatura do governador Eduardo Campos(PE).

images (18)
senador Valdir Raupp

A preocupação da cúpula do PMDB, é que a presidente Dilma e seu candidato a vice, Michel Temer, fiquem sem palanque no ES, em função do governador Casagrande ser aliado de Campos.

Em entrevista exclusiva ao site AGENCIA CONGRESSO,Raupp confirmou a reunião e disse mais: que espera que o PT indique o candidato a vice governador, com Ferraço para o governo e Hartung para o Senado.

Ricardo_ferraco
Senador Ferraço

Veja o que disse o presidente do PMDB, após anunciar que vai ao ES em julho discutir 2014 com a direção regional:

“Estamos fazendo essas reuniões com as executivas estaduais, já devo ter reunido a metade dos estados. Até final de junho a tendência é se reunir com todas as executivas estaduais. O primeiro apelo é que os estados tenham candidatura própria ao governo e ao Senado, de preferência, deixando a vice para composições”

images (19)
ex-governador Hartung

“No caso do Espírito Santo, nós temos nomes fortíssimos. Com todo respeito aos demais partidos, o PMDB tem os melhores quadros tanto para o governo, quanto para o Senado. Temos aqui o Senador Ferraço, que pode ser candidato à governador. Temos o Paulo Hartung, ex-governador e ex-senador, que também pode ser candidato à governador e ao Senado”.

“O ES é um dos estados que nós contamos e eu fiz esse apelo à executiva estadual, que foi bem recebido, em nome do presidente Michel Temer, e de toda executiva nacional, para que a gente possa garantir, que ali seja um estado praticamente garantido, com eleição do governador e senador”.

A decisão do maior partido brasileiro complica o projeto de reeleição do governador Casagrande, já que o PMDB não é seu principal aliado no estado, mas deixando a base de apoio abre espaço para atrair o PT, cuja direção nacional também exige palanque para Dilma.

Fonte: Agencia Congresso.

Deixe seu comentário