Dois vereadores querem aumentar a idade para atendimento de crianças no Hospital  e Maternidade Francisco de Assis (HFA) em Guarapari. Atualmente o hospital atende somente crianças de até 12 anos. Esse foi um dos motivos da não internação do menino Flávio Walter de Abreu Dias, de 13 anos, que acabou sendo levado para a UPA, onde não resistiu e morreu a caminho de Vitória. O caso causou comoção na cidade.  

Caso da morte do menino Flávio Walter de Abreu Dias, de 13 anos, causou comoção na cidade.  

14 anos. Na semana passada, o vereador Lennon Monjardim (Podemos) teve reunião com a direção do hospital e discutiu a sua sugestão para o aumento da idade de atendimento no HFA. “A situação da morte do menino me alertou para essa demanda. Eu não sabia que existia essa faixa etária. Visitei o hospital, conversei com a direção e percebi que eles têm a estrutura para poder ampliar essa faixa etária. Eles têm um prédio separado, onde acredito que podemos ampliar o atendimento para até 14 anos”, disse Lennon que também pediu essa mudança através de requerimento na Câmara.

Estrutura. Ainda segundo Lennon, o HFA se mostrou disposto em fazer estas mudanças, bastando o município alterar o convênio que tem atualmente. “Eles tem total interesse em atender também a estes adolescentes. Eles têm condições de fazer isso. Temos que viabilizar isso junto a prefeitura, para que aconteça. Não podemos deixar um novo problema desses acontecer. Não podemos deixar nossos jovens morrerem. Temos que olhar para a saúde. Tomara que a prefeitura nos atenda”, afirmou.

Vereadores Lennon Monjardim e Denizart Zazá querem aumento da faixa etária para atendimento no HFA.

17 anos. Além de Lennon, o vereador Denizart Zazá (PSDB), também entrou com requerimento na Câmara Municipal e no Ministério Público, pedindo a prefeitura, baseada em legislação civil, médica e no Estatuto da Criança e do Adolescente, o aumento da idade de atendimento para 17 anos.

“Eu estou pedindo o que está na lei.  São várias resoluções e parâmetros que entendem que a idade do adolescente é até os 17 anos. O que aconteceu com aquele menino jamais poderia ter acontecido. Eles tinham totais condições de atendê-lo. Esse contrato do HFA com a prefeitura tem que ser revisto e com isso, nós estamos propondo, baseado nessa legislação, que o atendimento seja até os 17 anos. Isso é lei e estou fazendo a minha parte”, afirmou Zazá.