O ex- deputado estadual Paulo Loureiro, que tinha base eleitoral em Guarapari, está foragido da justiça há mais de 100 dias. A informação é do jornal A Gazeta. Ele e o ex-prefeito de Pedro Canário e ex-deputado, Mateusão, constam no Banco Nacional de Mandados de Prisão do Conselho Nacional de Justiça. Quem tiver informações sobre o paradeiro dos dois pode ligar para 181, do Disque-Denúncia.

Ainda de acordo com a reportagem, contra Mateusão há dois mandados de prisão. O primeiro é de 7 de março, da 2ª Vara Criminal de Vitória, e já completou 100 dias. Ele se refere à condenação por peculato – apropriação de dinheiro público – por recebimento de R$ 35.148 em diárias irregulares da Assembleia. A pena é de cinco anos e 10 meses de prisão, em regime semiaberto, mas ele tenta uma última cartada no Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Paulo Loureiro
A pena Paulo é de seis anos, um mês e três dias de prisão, em regime semiaberto.

Fraude. O segundo mandado de prisão contra o ex-prefeito foi expedido em 25 de maio, pela Justiça Federal, devido à condenação dele por fraudar o Fisco e omitir informações na declaração de Imposto de Renda, entre 1997 e 2001, causando prejuízo de R$ 640 mil aos cofres públicos. Também não cabe mais recursos contra a punição de quatro anos e oito meses de prisão, em regime semiaberto.

Prisão. A reportagem informa que Paulo Loureiro está sendo procurado há mais tempo que o ex-colega de plenário: 121 dias. A prisão do empresário e  ex-deputado, que tinha base em Guarapari, foi determinada pela 9ª Vara Criminal de Vitória em 14 de fevereiro, após a sentença por peculato e falsidade ideológica – por receber R$ 7.482 em diárias da Assembleia irregularmente – ter sido confirmada pelo Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES), e os recursos aos tribunais superiores, negados. A pena é de seis anos, um mês e três dias de prisão, em regime semiaberto.

images (18)
Contra Mateusão há dois mandados de prisão.

De acordo com A Gazeta, no último dia 5, a juíza da 9ª Vara Criminal, Claudia Araújo, determinou o envio de ofício à Polinter (Polícia Interestadual), com o endereço atualizado do ex-deputado, em Macaé. Mas o documento ainda não havia chegado ao destino. Assim que recebê-lo, a Polinter enviará comunicado à delegacia mais próxima do endereço dele, pedindo apoio para cumprir o mandado de prisão.

A defesa de Paulo Loureiro pediu que ele ficasse em liberdade, mas a 2ª Câmara Criminal do TJES negou o pedido. No habeas corpus, o advogado do ex-deputado, Vinicius Polonini, alegou que ele tem bons antecedentes, residência fixa, trabalho lícito e pediu a substituição da prisão por penas alternativas ou que ele fosse “absolvido por falta de provas”, informa a reportagem.

Elect.PauloLoureiro.affiche
Paulo foi candidato a prefeito de Guarapari várias vezes. Nunca ganhou.

O relator do caso, desembargador Adalto Tristão, esclareceu que foi concedido ao ex-deputado o direito de recorrer em liberdade, mas “não persiste mais o motivo que o mantinha livre”, pois há sentença definitiva, que não pode ser substituída por penas alternativas. “Ele não apresenta nenhum risco à sociedade”, argumentou o advogado de Loureiro.

Quem é Paulo Loureiro? Era um dos  empresário mais ricos em Guarapari, dono da Construtora Casa Linda, que chegou a ser a maior de Guarapari e uma das mais fortes do Estado. Foi candidato a prefeito por várias vezes sem sucesso. Até que se elegeu deputado. Depois que sua construtora enfrentou problemas financeiros, ele saiu de Guarapari e foi para Macaé no Estado do  Rio de Janeiro.

Com informações de  A GAZETA

Deixe seu comentário