O Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES) irá investigar a empresa Rizzo Parking, responsável pelo estacionamento rotativo de Guarapari. O órgão abriu o procedimento investigatório após a denúncia do vereador Rodrigo Borges (Republicanos).

Denúncia. Em outubro deste ano, o parlamentar encaminhou um ofício solicitando a intervenção do Ministério Público a respeito da empresa, pois conforme relatos, vários veículos estariam recebendo a notificação no valor de R$15,00, sendo que a maioria deles estaria com o aplicativo do Rizzo Park ativado para cobrança em débito automático.

Em outubro deste ano, o parlamentar encaminhou um ofício solicitando a intervenção do Ministério Público a respeito da empresa.

Aplicativo. Ao procurar saber o motivo das cobranças, foi relatado que isso vem acontecendo pois os usuários estariam com o aplicativo desatualizado, e por isso o pagamento automático não estaria sendo ativado nos estacionamentos. No ofício, o vereador explicou que os usuários não receberam nenhum aviso de que o aplicativo precisaria ser atualizado, fazendo com que muitas pessoas recebessem as cobranças sem saber o motivo.

O documento ainda solicita a suspensão de todas essas multas e que os usuários do aplicativo sejam notificados de que o mesmo deve ser atualizado.

Ministério Público. Na última terça-feira (28), o MPES comunicou o registro da denúncia e a instauração de procedimento para apurar a situação. Segundo o órgão, será investigada a violação ao dever de informação e cobrança inadequada pela empresa Rizzo Parking.