A manhã começou tensa no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Guarapari. Por volta das 9 horas os detentos se recusaram a receber o café da manhã e começaram um tumulto dentro das celas.

Agentes do DOT se preparam para entrar no CDP de Guarapari. Foto: João Thomazelli/Portal 27
Agentes do DOT se preparam para entrar no CDP de Guarapari. Foto: João Thomazelli/Portal 27

De acordo com os parentes dos detentos, o tumulto é um protesto contra os maus tratos sofridos por eles dentro do CDP. “Eles estão apanhando dentro do CDP. Eles espancam os presos por nada. Há algumas semanas chegou um agente novo que disse para os presos que ele recebe para bater neles”, reclama a mãe de um dos detentos.

Logo depois dos presos se negarem a receber o café da manhã, do lado de fora foi possível ouvir gritos de protesto e em seguida os detentos começaram a bater nas portas de aço das celas. Explosões de bombas de efeito moral foram detonadas dentro dos pavilhões para conter o tumulto.

Por volta das 10h30, três veículos da Diretoria de Operações Táticas (DOT), chegaram ao CDP para revistar os presos. O advogado criminal Lucas Francisco Neto esteve dentro do CDP e disse que a situação estava controlada.

“De acordo com a diretoria do CDP, a confusão começou depois deles se negarem a receber o café da manhã. Agora (11 horas) a situação está controlada. O DOT está fazendo uma revista nos detentos, mas a princípio o que nos foi passado é que não há feridos”, disse o advogado.

Veja o momento em que o DOT chega ao CDP de Guarapari.

https://youtu.be/ki-VuoZqzzI

*Video: João Thomazelli/Portal 27

Sejus

Em nota a Secretaria Estadual da Justiça, Sejus, confirmou o tumulto e disse que a situação já foi normalizada dentro do CDP. Veja a nota da Sejus na íntegra:

A Secretaria de Estado da Justiça informa que na manhã desta segunda-feira (20) parte dos presos do Centro de Detenção Provisória de Guarapari iniciou um tumulto, gritando e batendo nas grades das celas. O grupo se recusava a cumprir os procedimentos disciplinares determinados pela Secretaria de Estado da Justiça (Sejus). 

A situação foi controlada pelos servidores da unidade e não houve danos materiais ao patrimônio ou qualquer registro de lesão ou ferimentos em presos ou agentes. A Diretoria de Operações Táticas está no local, realizando revista em todas as celas.

No momento, a unidade funciona sem problemas e os detentos que se recusaram a receber o café da manhã já aceitaram receber o almoço.

O Governo do Estado e a Secretaria de Estado da Justiça acrescentam que não toleram nenhum tipo de violência nas unidades prisionais e qualquer caso deve ser denunciado à Corregedoria da Sejus, que investigará com rigor todas as denúncias.

 

 

 

Deixe seu comentário